google education

REDES SOCIAIS

@jopa.gram
/jopa.face
/Jopa Tube

logo jopa

Como a invasão da Rússia na Ucrânia pode afetar a economia

[texto originalmente publicado neste link]

A invasão da Rússia na Ucrânia pode impactar diversos setores da economia mundial, em especial energia e alimentos, com potenciais repercussões no câmbio e nas taxas de juros ao redor do mundo.

Nos investimentos, é possível que haja uma valorização das commodities, especialmente petróleo, gás natural e grãos, já que a Rússia é uma grande exportadora desses produtos e pode ser alvo de sanções do Ocidente.

Diante de tantas incertezas, os investidores não podem abrir mão da diversificação de portfólio inteligente, reduzindo a correlação dos ativos em suas carteiras e aumentando sua exposição a setores que tendem a performar melhor nesse ambiente.

Para isso, é indispensável que você insira ativos reais estratégicos em suas alocações, que não sofram com a volatilidade do mercado financeiro e consigam entregar bons resultados, mesmo com a alta da inflação.

Neste artigo, vamos analisar mais a fundo como a invasão da Rússia na Ucrânia pode impactar a economia brasileira e mundial, traçando algumas estratégias de alocação para que você proteja seu patrimônio com projetos de altíssima qualidade na economia real.

Confira os tópicos que vamos abordar:

  • Invasão da Rússia na Ucrânia pode provocar uma disparada nos preços de energia e alimentos
  • Rússia x Ucrânia: preços de fertilizantes podem subir no Brasil
  • Perspectiva é de alta para o dólar
  • Juros podem continuar em patamares elevados
  • Como proteger seus investimentos contra os efeitos da guerra na Ucrânia?

Invasão da Rússia na Ucrânia pode provocar uma disparada nos preços de energia e alimentos

A Rússia é uma das maiores produtoras mundiais de petróleo, gás natural e grãos, especialmente trigo, e as sanções do Ocidente ao seu ataque à Ucrânia podem desequilibrar a oferta desses produtos no mundo.

Já a Ucrânia tem uma importante participação em vários mercados agrícolas, respondendo por 13% da produção mundial de milho e 7% da oferta global de trigo, além de ser uma grande exportadora de cevada e centeio.

“Podemos ver um salto nos preços de energia e alimentos por causa desse conflito”, ressaltam diversos especialistas.

Rússia x Ucrânia, agricultura
Rússia x Ucrâniaprodução de grãos pode ser impactada por invasão (Imagem: unplash)

De fato, o efeito imediato desse ataque seria uma alta ainda maior dos níveis de inflação no mundo, pressionando os bancos centrais das principais economias a acelerarem o aperto das suas políticas monetárias.

Logo após o anúncio da invasão, os preços do petróleo subiram mais de 6%, rompendo a marca de US$100 por barril pela primeira vez desde 2014. O gás natural também disparou em Nova York, em antecipação a mais sanções a esses setores-chave da economia russa.

De acordo com Pedro Serra, Head de Research da Ativa Investimentos, em entrevista ao portal financeiro Investing.com:

Uma parte substancial das terras agrícolas ucranianas está localizada na região leste do país, justamente a posição mais vulnerável a um potencial ataque russo. Um conflito bélico pode afetar de forma significativa as safras agrícolas do país, ocorrendo efeitos diversos ao redor do mundo, inclusive nos preços de trigo, milho e fertilizantes agrícolas.

diz Pedro sobre Rússia x Ucrânia

Rússia x Ucrânia: preços de fertilizantes podem subir no Brasil

Além do desequilíbrio da oferta global de grãos e energia, tudo indica que os produtores agrícolas brasileiros serão impactados por preços mais altos de fertilizantes e outros insumos importantes para o campo.

A Rússia é a principal fornecedora de fertilizantes para o mercado brasileiro.  No ano passado, nossos produtores importaram mais de 9,3 milhões de toneladas de fertilizantes russos para produção agrícola. 

Como explica uma matéria do Canal Rural:

A ureia, utilizada nos adubos nitrogenados, também fornecida em grande parte pela Rússia, deve atingir patamares de preços acima dos observados em 2021.

Antes mesmo do conflito, a perspectiva já era de alta para os preços de fertilizantes e outros insumos fundamentais para a produção de alimentos e a exportação de commodities agrícolas do Brasil, segundo analistas.

Agora, com a confirmação do ataque da Rússia na Ucrânia, a projeção é que os aumentos de custos para os produtores serão ainda maiores. 

Como destaca Bruno Fonseca, analista sênior para o mercado de insumos do Rabobank Brasil, em entrevista ao Canal Rural:

O produtor vai acabar tendo que se preocupar mais com o preço de fertilizantes porque ele está mais próximo ao período de aquisição para a próxima safra de soja.

Confira mais sobre os efeitos da invasão da Rússia na Ucrânia para os produtores agrícolas no vídeo abaixo:

Perspectiva é de alta para o dólar

Outro efeito imediato da agressão russa à Ucrânia é a valorização da moeda americana, diante da perspectiva de inflação mais alta nos EUA e no mundo.

Os preços da gasolina nas bombas americanas subiram por conta dos estímulos econômicos sem precedentes no país para combater os efeitos da pandemia. Também entrou nessa conta a valorização do petróleo, já que os níveis de oferta não conseguiram acompanhar o forte repique na demanda.

Além disso, como a oferta de gás natural pode ser impactada na Europa, é bem provável que a procura por gás natural liquefeito dispare no mundo, intensificando ainda mais o preço de energia em todo o planeta.

Esse ambiente de aversão ao risco incentiva os investidores a buscarem ativos de proteção, como o dólar, ainda mais diante da perspectiva de que o Federal Reserve (banco central dos EUA) pode acelerar as altas de juros para conter a inflação no país.

Juros podem continuar em patamares elevados

Caso os efeitos inflacionários se confirmem na economia brasileira, em vista da alta do petróleo, dos alimentos e do dólar, o mais provável é que vejamos uma persistência maior dos juros altos em nosso país.

O banco central brasileiro iniciou um forte aperto da sua política monetária no ano passado, para conseguir atingir sua meta de inflação no próximo ano. As projeções dos economistas para a taxa Selic no fim de 2022 é de mais de 12%.

Esse cenário pode trazer ainda mais volatilidade para a bolsa de valores brasileira, que já vinha sofrendo com a perspectiva de baixo crescimento da nossa economia neste ano.

Como proteger seus investimentos contra os efeitos da guerra na Ucrânia?

A invasão da Rússia na Ucrânia pode repercutir indiretamente na economia brasileira, trazendo mais inflação para o nosso país, além de juros altos e dólar valorizado.

Nesse ambiente, é fundamental aumentar as alocações em setores estratégicos que possam não só resistir melhor aos impactos desse conflito na economia mundial, mas também registrar melhor desempenho do que o mercado mais amplo.

A aversão ao risco provocará fortes oscilações de preço nas ações e a possibilidade de inflação mais alta pode afetar a rentabilidade real de quem concentra demais suas alocações em renda fixa.

Para enfrentar bem esse momento de turbulência, é indispensável reduzir a correlação dos ativos em carteira, a fim de evitar que o risco de uma classe de ativos se dissemine por todo o portfólio, prejudicando seus resultados esperados ou até mesmo colocando em risco seu patrimônio.

Uma das melhores formas de fazer isso é inserir ativos reais de alta qualidade na sua carteira, com exposição direta a setores da economia real que não estejam expostos ao vaivém do mercado financeiro e ainda ofereçam proteção contra a inflação.

Investir em commodities e projetos de energia, por exemplo, pode ser uma excelente alternativa para quem busca retornos acima do mercado mais amplo. Também é uma boa ideia aumentar as alocações em ativos dolarizados, como vinhos finos, que podem entregar resultados espetaculares nos próximos anos.

Comments are closed.